MOPIC

A MOPIC, Mobilização dos Povos Indígenas do Cerrado é um movimento político, que surgiu a partir da Corrida de Tora de Buriti, como forma de manifestação para chamar a atenção da opinião pública e dos governantes para os problemas decorrentes do desmatamento no Cerrado brasileiro.

A Corrida de Tora é considerada um esporte e um rito típico dos povos indígenas do tronco lingüístico Macro-Jê, caracterizado por disputa entre duas equipes que correm revezando toras de buriti que pesam entre 100 kg a 120 kg.

Os atos políticos ocorreram nas cidades de São Paulo e Brasília entre 2003 e 2006 e foram protagonizados pelos povos Xavante (MT) e Timbira (Apinajé, Gavião, Kanela, Krahô e Krikati – MA e TO), tendo repercutido intensamente nos meios de comunicação e na opinião pública, dando visibilidade à problemática que os Povos Indígenas vêem enfrentando com o intenso desmatamento do Cerrado, fruto das atividades predatórias causadas sobretudo pelo avanço do agronegócio e construção de barragens que afetam diretamente suas terras.

No ano de 2006 no seminário “Nossa Terra, Nossa Casa” constitui-se formalmente a Mobilização dos Povos Indígenas do Cerrado, através da nomeação de uma Comissão Executiva formada por 10 integrantes indígenas dos estados: MT, MA, TO, MA e MG, um coordenador geral e um vice-coordenador. A eleição destes membros foi concretizada por representantes de 17 povos indígenas do Cerrado, dentre os quais: Xavante, Krahô, Krikati, Apinajé, Kanela, Gavião Pykobjê, Paresi, Karajá, Xerente, Suiá, Nanbikwara, Kiniquinawa, Terena, Xakriabá, Bakairi, Kaxixo, Irantxe e Guarani Kaiowa.

Criada com a finalidade de promover uma articulação política para garantia dos direitos dos Povos Indígenas do Cerrado, a MOPIC tem como objetivos específicos:

1) Dialogar com as bases por meio das associações locais e lideranças das aldeias; 

2) Receber as demandas das comunidades para pressionar e cobrar ações do Governo; 

3) Intermediar o diálogo entre as bases e os órgãos governamentais, organismos internacionais e ONGs; 

4) Cobrar e incentivar ações de auto-sustentabilidade; 

5) Exigir a segurança territorial das terras indígenas do Cerrado; 

6) Apoiar e promover a valorização cultural dos Povos Indígenas do Cerrado.          

Dentre os povos indígenas que participam das atividades da MOPIC estão: Xavante, Bororo, Bakairi, Chiquitano, Nambiquara, Paresi, Umutina, Irantxe, Suyá, Kayapó, Panará, Enawene Nawe, Guarani, Kaiowa, Terena, Kadiweu Kinikinawa, Ofaié Xavante, Karajá, Tapirapé, Xerente, Javaé, Krahô, Canela, Krikati, Apinajé, Gavião, Xacriabá e Caxixo.

Contato: mopic@mopic.org.br