Lideranças Marubo repudiam declaração de coordenador da Funai sobre ‘meter fogo nos isolados’

Após a divulgação pelo jornal Folha de São Paulo de um áudio de Henry Charlles Lima da Silva, tenente da reserva do Exército e atual coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) no Vale do Javari, que incentivava indígenas do povo Marubo a “meter fogo nos isolados” caso sejam importunados, a Organização das Aldeias Marubo do Rio Ituí (Oami) divulgou uma nota repudiando as declarações do coordenador.

Veja o documento na íntegra AQUI.

“O porte de arma para servidores da FUNAI não serve para combater os povos da florestas, isso é um crime anunciado, e o mais preocupante é ouvir essa declaração de guerra de um servidor nomeado que supostamente foi encarregado para exercer uma importante função numa área que todos os dias é atacada por infratores. E quando um servidor federal corrobora com ideologias genocidas de ir junto aos Marubo de “passar fogo” nos isolados, ele já não nos representa.”, diz trecho da nota.

A Oami denuncia o descaso com as diversas tentativas de comunicação com a Funai sobre a presença de isolados próxima das aldeias do alto rio Ituí e afirma sua política de proteger esses grupos.

“A política interna do povo Marubo é proteger toda coletividade que habita o Vale do Javari. A orientação de guerra declarada pelo atual Coordenador da CR-Vale do Javari não será processada em nossas mentes, pois temos ciência que o Javari é um território compartilhado por distintos povos, e a nossa maior guerra é combater o descaso e a inoperância da Funai. E arma que os povos indígenas usam é o diálogo.”, afirma a organização.

Confira a nota completa:

CARTA DE REPÚDIO

O extermínio nunca será a solução. Meter fogo nos “isolados” só reafirma o descaso que o maior Órgão Indigenista deste país tem com os povos indígenas.

Por inúmeras vezes a OAMI – Organização das Aldeias Marubo do Rio Ituí, informou a CR-Vale do Javari e Frente de Proteção Etnoamabiental, sobre a presença de índios “isolados” próximo as aldeias do Alto Rio Ituí, porém a morosidade institucional não permitiu o pronto atendimento das demandas em pauta.

Infelizmente, nossos argumentos sobre o assunto não foram recepcionados pelos órgãos indigenista como prioridade, e, somente após o ocorrido no dia 07/06/2021 (quando os índios isolados levaram uma mulher da aldeia Paulinho) foi que a Coordenação Regional Vale do Javari/Funai, resolveu acreditar.

A OAMI com intuito de criar uma estratégia de proteção aos povos “Isolados”, que habitam nosso território, pautou a CR-Vale do Javari para uma reunião in loco, na qual nossa intenção diverge das declarações do atual coordenador.

O porte de arma para servidores da FUNAI não serve para combater os povos da florestas, isso é um crime anunciado, e o mais preocupante é ouvir essa declaração de guerra de um servidor nomeado que supostamente foi encarregado para exercer uma importante função numa área que todos os dias é atacada por infratores. E quando um servidor federal corrobora com ideologias genocidas de ir junto aos Marubo de “passar fogo” nos isolados, ele já não nos representa. A política interna do povo Marubo é proteger toda coletividade que habita o Vale do Javari. A orientação de guerra declarada pelo atual Coordenador da CR-Vale do Javari não será processada em nossas mentes, pois temos ciência que o Javari é um território compartilhado por distintos povos, e a nossa maior guerra é combater o descaso e a inoperância da Funai. E arma que os povos indígenas usam é o diálogo.

Gostaríamos muito que esse mesmo entusiasmo declarado pelo Coordenador da CRVale do Javari fosse usado para combater a invasão de nosso território pelos madeireiros, caçadores, narcotraficantes que usam nosso território para suas práticas ilícitas.

E combater a população originaria de forma tão torpe, só comprova o despreparo e a falta de compromisso com a causa indígena.

Desta forma, a OAMI repudia veementemente quaisquer atitudes de extermínio dos povos indígenas (passar o fogo), e está aberta para diálogos assim que for necessário.

Atenciosamente Atalaia do Norte – AM, 22 de julho de 2021.

Diretoria da Organização das aldeias Marubo do rio Ituí (OAMI)