Foto: Kely DÁvila / Acervo CTI

Nota de pesar pelo falecimento de Artemio Capistana Kulina

É com imensa tristeza e pesar que o CTI vem à público comunicar que o povo Kulina do Vale do Javari perdeu no dia 28/06/2021 a sua principal liderança, Artemio Capistana Kulina. Artemio, conhecido carinhosamente por todos como Cacau, foi o responsável pelo retorno de seu povo ao território da TI Vale do Javari ao fundar a aldeia Pedro Lopes, nas margens do rio Curuçá, na década de 1990, após um largo período de dispersão do povo Kulina. Deste modo, Cacau conseguiu com resistência e perspicácia, manter a coesão e a permanência de seu povo dentro da Terra Indígena Vale do Javari.

A luta de Cacau sempre foi para que os Kulina fossem reconhecidos como povo indígena e recebessem o mesmo reconhecimento que os demais povos.

Cacau manejava um profundo conhecimento sobre a história e a língua do povo Kulina que se traduzia em uma rica sabedoria manifestada em sua bela fala e nos passos de sua trajetória. Ele era um dos poucos ainda falantes da língua Kulina e sabia como ninguém contar histórias da memória de seu povo. Como resultado de suas experiências, além da língua Kulina, Cacau falava ainda Marubo e Matses.

Aos poucos, sua luta foi sendo conquistada e fez com que os Kulina passassem a ter visibilidade e a conquistar importantes espaços institucionais. Resultado disto, em 2017, foi fundada a Associação Ibá Kulina do Vale do Javari (AIKUVAJA).

Um dos grandes sonhos almejados por Cacau era a recuperação da memória e língua de seu povo. Por isso, nos últimos anos, Cacau vinha se dedicando intensamente neste sentido, com a criação da aldeia Nuntewa, como parte da retomada de locais tradicionais Kulina, e a realização de matérias didáticos e audiovisuais para o fortalecimento da memória e língua do povo Kulina, atividades às quais o CTI orgulhosamente participou.

De jeito simples, Cacau oscilava falas mansas e brincalhonas com seus tons serenos e firmes como flecha.

Cacau era um sábio e a perda de sua existência será sentida por todos que o conheceram, sobretudo para povo Kulina e para todos os povos indígenas do Vale do Javari.