Foto: Acervo CTI

Comunidade Gavião Pykobjê realiza etnomapeamento da TI Governador

Um grupo de jovens agentes ambientais, professores, monitores e conselheiros Gavião Pykobjê finalizou nessa sexta feira (22) a terceira etapa do etnomapeamento da Terra Indígena (TI) Governador (MA). A atividade faz parte do ciclo de formação dos agentes ambientais Timbira, realizada pelo Centro de Trabalho Indigenista em parceria com a Associação Wyty Cate, no âmbito do projeto de implementação do Plano de Gestão Territorial e Ambiental das TIs Timbira, apoiado pelo Fundo Amazônia BNDES.

O grupo percorreu regiões dentro da terra indígena fazendo o georreferenciamento e levantando informações sobre a situação das nascentes e cursos d’água, áreas de caça e extrativismo, áreas vulneráveis pela pressão do entorno e lugares com referências históricas do povo Gaviao Pykobjê.

Expedição de etnomapeamento (Foto: Acervo CTI)

O mapeamento é orientado pelos conselheiros Gavião, guiando os jovens pelos caminhos e varações, repassando as histórias e nomes na língua dos lugares, os tipos de usos de certos recursos naturais e as mudanças relacionadas às novas dinâmicas territoriais. Os professores, monitores e equipe técnica auxiliam os jovens no registro e qualificação das informações, na utilização dos instrumentos de trabalho, na elaboração de mapas mentais e cadernos de campo.

A atividade reforça a transmissão do conhecimento entre as gerações e o diálogo de saberes indígenas e não indígenas. Além de fortalecer o monitoramento do território por meio da presença e sistematização de informações territoriais.

Os etnomapas resultantes dessas atividades têm exercido seu papel de instrumento de diagnóstico e de diálogo político, subsidiando debates em planejamentos internos e articulações externas voltadas para a implementação de ações de gestão territorial.