Apib convoca Mobilização Nacional Indígena em defesa de direitos de povos indígenas e tradicionais, de 13 a 16 de abril

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) está convocando toda sociedade brasileira para a semana de Mobilização Nacional Indígena, de 13 a 16 de abril. O Acampamento Terra Livre reúne, há mais de 11 anos, na capital federal, cerca de mil representantes de diversos povos indígenas, com o objetivo de mostrar não apenas a sua diversidade e riqueza sociocultural, mas também reafirmar a luta dos povos pela garantia de seus direitos, que devem ser mantidos e efetivados

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) está convocando toda sociedade brasileira para a semana de Mobilização Nacional Indígena, de 13 a 16 de abril. Estão previstas manifestações em todas as regiões do país e em Brasília, onde ocorrerá o Acampamento Terra Livre (ATL). A mobilização é apoiada por inúmeras organizações da sociedade civil e movimentos sociais. Os direitos indígenas e de populações tradicionais, como os quilombolas, estão ameaçados em distintos âmbitos do Estado e por setores poderosos da sociedade.

O ATL reúne, há mais de 11 anos, na capital federal, cerca de mil representantes de diversos povos indígenas, com o objetivo de mostrar não apenas a sua diversidade e riqueza sociocultural, mas também reafirmar a luta dos povos pela garantia de seus direitos, que devem ser mantidos e efetivados, em respeito à Constituição Federal e à legislação internacional de proteção e promoção dos Direitos Humanos, que inclui a Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas.

Leia aqui a convocatória da mobilização e um análise da conjuntura elaboradas pela Apib.

Deixe um comentário

Os comentários enviados às matérias aqui veiculadas serão publicados levando em conta a relevância para as discussões às quais elas se propõem. A responsabilidade sobre cada comentário é de exclusividade do autor e não representa posição do Centro de Trabalho Indigenista. Por esse motivo, incentivamos a identificação dos autores. São bem-vindas colaborações críticas que enriqueçam o debate. Agressões, insultos ou declarações de cunho preconceituoso não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *